Início Notícias Projeto de jornalismo no Agrupamento de Pedome

Projeto de jornalismo no Agrupamento de Pedome

88

Pedome abraçou mais um projeto, a desenvolver ao longo do ano letivo, que será levado a cabo pela professora Isabel Castro com os alunos de terceiros e quartos anos das escolas do agrupamento. O objetivo é alertar para o perigo das fakenews, sensibilizando as crianças a recorrer a fontes de informação fidedignas, para além de lhes estimular o gosto pela escrita, por serem os próprios a noticiar o que de bom acontece nas suas escolas.

Na Escola Básica de Oliveira S. Mateus, os pequenos jornalistas deram a conhecer que a sala de quarto ano é palco de uma atividade pedagógica denominada Tempo de Estudo Autónomo (TEA) que decorre quatro vezes por semana. 

Durante esse tempo, os alunos escolhem um dos quatro domínios – leitura, escrita, jogos matemáticos e ficheiros autocorretivos – e trabalham individualmente ou em parceria para treinar conhecimentos adquiridos e esclarecer dúvidas. Nos jogos matemáticos desenvolvem o raciocínio, o cálculo mental e estratégias. Na leitura podem ler os livros a que têm acesso na sala. Na escrita dão asas à imaginação e escrevem poemas, fábulas e outros tipos de texto. Nos ficheiros autocorretivos resolvem exercícios e praticam a autonomia quando recorrem às soluções para verificarem as suas respostas. 

A aluna Mariana Dias explicou que aprender assim “é divertido”. “Nós é que escolhemos o que queremos trabalhar, desde que no final do mês tenhamos passado por todas as áreas. Parece um jogo”.  

Já o aluno Afonso Guimarães esclareceu que todos os “materiais necessários ao TEA estão disponíveis na bancada onde estão separados por etiquetas” – desde jogos a fichas, passando pelos livros. 

Paralelamente a todo este processo de TEA, a professora está disponível para esclarecer dúvidas de qualquer conteúdo lecionado e avaliar o processo de aprendizagem dos alunos que se proponham a tal. “É nesta altura que dou apoio mais individualizado aos alunos que revelam mais dificuldades”, contou a professora Ana Correia. E acrescentou que esta dinâmica de trabalho é o resultado de uma formação realizada no Movimento da Escola Moderna.