O Agrupamento de Escolas de Pedome, através do seu Clube de Teatro “Empatia em Palco”, lançou na passada semana, online, uma peça de teatro físico, construída no âmbito do projeto Empatia em Palco – um projeto de partilha de afeto entre jovens e bebés, através do teatro escolar.
Dada a impossibilidade de se estrear esta peça numa sala de teatro, tal como estava previsto, este grupo readaptou o seu trabalho, lançando, ao longo de vários dias da semana passada, um “Teatro em fascículos”, gravados agora em novos palcos, exteriores, na zona geográfica do Agrupamento.
Os atos/fascículos lançados, organizados cronologicamente, são uma retrospectiva pontilhada da evolução social do concelho: do trabalho da terra, braçal e cansativo, aos pedidos incessantes de melhor sorte nas traves de madeira das igrejas; das fábricas ao trabalho repetitivo, causados de tendinites e um desespero alarve; das tecnologias que se foram multiplicando – a rádio, a televisão, o telemóvel, o smartphone. Tudo atropelado, como se de uma corrente incessante se tratasse. Por fim, a exaustão, é alienação que vai à procura de um novo recomeço. Em paralelo a esta cronologia, todos os atores são compelidos à fala – um monólogo que denota preocupações sociais a par com a confusão da mente humana. Mas nem os atores são apenas o que se apresenta nem o mundo é assim tão simples que tenha apenas um caminho.
Pretende-se, assim, e apesar das limitações atuais, não deixar cair o trabalho desenvolvido ao longo do ano letivo no âmbito deste clube, ao mesmo tempo que combatemos os efeitos do isolamento social nos nossos alunos e mantemos a sua ligação emocional à escola e à vida que lá se gera e movimenta.